terça-feira, 27 de abril de 2010

O QUE É IMAGEM CORPORAL?


Imagem corporal é a figuração do próprio corpo formada e estruturada na mente do mesmo indivíduo, ou seja, a maneira pela qual o corpo se apresenta para si próprio. É o conjunto de sensações sinestésicas construídas pelos sentidos (audição, visão, tato, paladar), oriundos de experiências vivenciadas pelo individuo, onde o referido cria um referencial do seu corpo, para o seu corpo e para o outro, sobre o objeto elaborado.
O desenvolvimento da imagem corporal encontra paralelo no desenvolvimento da identidade do próprio corpo, tendo relações com os aspectos fisiológicos, afetivos e sociais. É um processo que ocorre durante toda a vida. A construção da identidade corporal é sempre um processo em construção. As primeiras experiências infantis são fundamentais no desenvolvimento da imagem corporal, mas as experiências e o explorar do corpo nunca param.
O conceito de beleza e saúde corporal vem sofrendo muitas mudanças. No inicio do sec. XX a mulher desejada era mais farta de gordura em seus quadris, coxas, barrigas e mamas. Com o passar desse século, inicia-se uma corrida incessante pelo corpo magro, atlético e formas mais definidas, essa busca faz com que corpo vire sinônimo de poder e aceitação social acarretando no crescimento da insatisfação com o próprio corpo.
Essa insatisfação ganha força com a mídia que impõe padrões de beleza praticamente inatingíveis, através de corpos perfeitos, práticas alimentares inadequadas, mulheres esqueléticas e homens musculosos. Esse bombardeio da mídia afeta principalmente as mulheres, pois essas são mais vulneráveis as pressões externas, sendo assim, apresentam um maior risco para o desenvolvimento de distúrbios relacionados à imagem corporal.

VOCÊ ESTÁ SATISFEITO COM SUA IMAGEM CORPORAL?

Estou fazendo uma enquête, para saber se as pessoas estão satisfeitas ou não com sua imagem corporal. Observe com atenção quadro abaixo, nele você encontrará várias silhuetas tanto de mulheres quanto de homens com uma numeração para referência.

Anote os números fazendo duas (2) perguntas:

• Qual silhueta você se ver?

• Qual é a silhueta que você gostaria de alcançar?

Depois de anotar e observar sua imagem corporal mande suas observações nos comentários sobre o assunto no blog.
Na resposta, não precisa mandar seu nome, somente o sexo e sua idade.

CONTO COM VOCÊS, AMIGOS.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

FLEXIBILIDADE






O que é Flexibilidade?

"É qualidade física responsável pela execução voluntária de um movimento de amplitude angular máxima, por articulação ou conjunto de articulações, dentro dos limites morfolóligos, sem risco de provocar lesão." (DANTAS, 2003).

Para que Servem os Exercícios de Flexibilidade?

A flexibilidade é uma das aptidões físicas mais ligadas aos fatores genéticos. Cada pessoa nasce com maior ou menor grau de alongamento, que pode ser modificado (parcialmente) na infância, durante a fase de crescimento do sistema músculo-esquelético. O ganho de flexibilidade na idade adulta é sempre relativo, pois as estruturas rígidas do sistema músculo-esquelético maduro (ossos e articulações) não permitem grandes modificações. No entanto, no decorrer da vida, pode haver perda da flexibilidade, causada pelo sedentarismo, por assumir a posição sentada longos períodos, pelo envelhecimento, por doenças e perdas musculares. Estas perdas podem e devem ser prevenidas pela realização dos alongamentos ou exercícios de flexibilidade, que consistem na movimentação de todos os segmentos do corpo nos limites da amplitude dos movimentos articulares. São utilizados, também, no aquecimento de esportistas antes dos treinos e provas. É necessário que a flexibilidade e alongamento sejam trabalhados, mas esse trabalho, quando feito de forma isolada, não é suficiente para melhorar o condicionamento físico. Sempre que se realiza um exercício ativo, a flexibilidade está sendo trabalhada, mas no alongamento passivo, não se trabalha a condição muscular. Ter um alongamento fisiológico de acordo com suas características individuais é necessário, mas não suficiente para o condicionamento físico.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO




A maioria das pessoas que apresentam hipertensão arterial não tem sintomas. Por isso é chamada de "doença silenciosa". Apesar da ausência de sintomas, a pressão arterial elevada pode causa danos a seu corpo. Para se detectar a hipertensão arterial, deve-se checar sempre a pressão em postos de saúde ou durante check-ups rotineiros. Uma vez detectada a hipertensão, algumas medidas devem ser tomadas:


1. Consultar-se regularmente com o médico contando-lhe sobre qualquer alteração.


2. Seguir rigorosamente os horários e a dosagem da medicação prescrita por seu médico.


3. Caso recomendado pelo médico, aprenda a medir sua própria pressão para um melhor acompanhamento das variações da pressão durante o dia.


Geralmente, a tentativa de controle da hipertensão se dá por mudanças de alguns hábitos e/ou por administração de medicamentos.

Algumas coisas geralmente recomendadas são: parar de fumar, fazer exercício físico, controlar a ingesta diária de sal, diminuir os alimentos gordurosos ricos em colesterol, evitar stress emocional, manter o peso, etc.


A medicação disponível para controlar a hipertensão apresenta-se como subtipos de drogas, cada um com um principio de ação. Existem drogas como diuréticos, os beta-bloqueadores (propanolol) e os bloqueadores de cálcio (verapamil e nifedipina). Além dessas drogas, existem também os inibidores enzimáticos, como o captopril. Cada um desses medicamentos tem um mecanismo de atuação diferente do outro, mas todos conduzem a uma diminuição da pressão arterial. Cabe ao seu médico avaliar qual é o mais indicado para o seu caso.

Benefícios da Atividade Física - Na Hipertensão Arterial




Os benefícios da atividade física no controle da pressão arterial acontecem por diversos fatores diretos e indiretos da atividade física no organismo:

Alterações cardiovasculares:

  • Diminuição da frequência cardíaca de repouso
  • Débito cardíaco no repouso
  • Resistência periférica e volume plasmático
  • Aumento da densidade capilar

Alterações endócrinas e metabólicas:

  • Diminuição da gordura corporal
  • Diminuição dos níveis de insulina
  • Diminuição na atividade do sistema nervoso simpático
  • Aumento da sensibilidade a insulina
  • Melhora da tolerância a glicose

Composição corporal:

  • Efeito diurético (nos exercícios em meio líquido)
  • Aumento da massa muscular
  • Aumento da força muscular

Comportamento:

  • Diminuição do stress
  • Diminuição da ansiedade

quarta-feira, 7 de abril de 2010

NOTA DE AGRADECIMENTO E ESCLARECIMENTO

Estou contente e admirado pela quantidade de pessoas que vem perguntando sobre meu estado de saúde e me falar que vem rezando e orando muito pela minha saúde. Pessoas que conheço, pessoas que não conheço de várias religiões e crenças. Realmente estou comovido pelo interesse das pessoas.

No dia 19 de março de 2010, no hostipal Quinta D`OR no Rio de Janeiro, fiz uma angioplastica na artéria aortica para corrigir uma coarctação da aorta (um estreitamento da artéria acima do coração de 85%). Neste procedimento os médicos colocaram um Stent (uma espécie de mola) para melhorar o fluxo sanguíneo. O procedimento foi comandado pelo Dr. Luís Carlos Simões e todo o procedimento foi um sucesso e estou me sentido bem melhor. Este estreitamento causou um problema na válvula aortica do meu coração e nos próximos meses terei que ser submetido a outra cirurgia cardíaca para trocar esta válvula, desta vez como o Dr. Ricardo Miguel Francisco também no Rio de Janeiro.
Nas próximas semanas estarei realizando exames para comprovação do sucesso deste primeiro procedimento e dar início ao procedimento da próxima intervenção cirurgica.

Então peço por gentiliza que continuem a rezar e orar por mim.


Um grande abraço e que Deus abençoe a todos!

Sandro Gonzaga de Arêdes

segunda-feira, 5 de abril de 2010

GORDURA VICIA?



Um estudo publicado na revista Nature Neuroscience, realizado pelo Scripps Research Institute, do estado da Flórida, Estados Unidos, chegou à conclusão de que comer alimentos altamente calóricos e ricos em gorduras pode causar vício, da mesma forma que drogas como heroína e cocaína.

Para os estudiosos que pesquisaram durante três anos com camundongos, uma dieta com alimentos gordurosos viciaram os animais, pois eles perderam o controle sobre o hábito alimentar comendo bem mais do que precisavam e se alimentando mesmo quando induzidos a não o fazerem.

Essas regiões do cérebro vão respondendo cada vez menos aos estímulos, o que fez com que os camundongos comessem cada vez mais, tornando-se obesos.

O mesmo teste foi realizado com heroína e cocaína, e os ratos responderam da mesma forma.

A descoberta mostra que certos alimentos podem desencadear a compulsão por comida e a obesidade também em humanos, levando a uma forma de vício em comida praticamente impossível de ser combatida com a dieta.

Ao estudar os mecanismos que levam a compulsão, foi descoberto que um receptor denominado D2 responde a dopamina, um neurotransmissor relacionado ao prazer, como o provocado por drogas ou comida. Quando existe o consumo, por exemplo de cocaína, o cérebro fica cheio de dopamina, processo idêntico ocorre com comidas gordurosas.