terça-feira, 27 de março de 2012

EXERCÍCIO MALFEITO PODE TER EFEITO CONTRÁRIO






Nunca se esqueça que assim como tomar remédio sem orientação médica, fazer exercícios sem orientação de um profissional de EDUCAÇÃO FÍSICA também pode prejudicar ainda mais sua saúde.
Aqueles que sabem ou desconfiam que o sedentarismo esteja matando cada vez mais pessoas no mundo, buscam soluções para prevenirem este mal, que assola a humanidade. A modernidade nos trouxe muitos benefícios, mas é a grande incentivadora da inatividade física.
Movimentos por menores que sejam, estão sendo abolidos da sociedade moderna. Trocar o canal, lavar roupa, até já é possível fazer compras no supermercado por meio de telefone ou internet. Se a falta de tempo é um problema, maior ainda é o leque de doenças que vem acompanhando o sedentarismo. Não estamos apenas tentando incentivar você frequentar uma academia ou fazer exercícios por você mesmo.
Mas pense um pouco mais em você, em sua saúde. Não seria bom ir ao médico para se consultar e constatar uma saúde perfeita? Fazer apenas um trabalho preventivo economizaria tempo, dinheiro e com certeza muitos aborrecimentos. Algumas pessoas, por sinal muitas, já estão se exercitando, sejam nas ruas, em praças, na própria residência e por motivos diversos: por falta de dinheiro para bancar uma academia, um clube ou um personal trainer; por falta de tempo; por simplesmente preferir atividades ao ar livre ou na comodidade de sua casa... Mas todos tiveram uma razão para se iniciar na prática.
Seja porque já aconteceu algum abalo em sua saúde ou porque conseguiu ser sensibilizado a cuidar dela. Mas cuidado se sua intenção é iniciar-se na atividade física agora, faz-se necessário antes dar um pulinho em seu médico (cardiologista, ortopedista, clínico geral...) e fazer alguns exames. Depois você vai precisar de uma avaliação física, em uma academia de confiança ou com algum profissional de educação física de sua confiança.
A avaliação e orientação te dirão muitas coisas sobre você: percentual de gordura e massa muscular, problemas posturais, resistência muscular. A partir desta avaliação geral de sua saúde e seu condicionamento inicial, estará apto a começar a mexer-se. Mas ainda assim, cuidado!
Nossa saúde vale muito e não podemos brincar com ela. Exercitar-se, ter um hábito alimentar saudável e saber lidar com o stress diário, não é apenas uma receita de alguns e nem nenhum milagre. É necessário dedicação e perseverança. Portanto, cuide-se bem e sempre! BOM TREINO!

quinta-feira, 22 de março de 2012

IMAGEM CORPORAL E EXERCÍCIO FÍSICO






A prática regular de exercício físico é associada a inúmeros benefícios para a saúde e a qualidade de vida. Indivíduos, fisicamente ativos, tendem a apresentar menores incidências de doença coronariana, acidente vascular cerebral, hipertensão arterial, diabetes mellitus não-insulino dependente, obesidade e algumas formas de câncer. Em contrapartida, excesso de peso ou de gordura corporal é acompanhado de uma maior morbi-mortalidade.
Recentemente, tem aumentado a prevalência de sobrepeso e obesidade, especialmente nos Estados Unidos, onde a proporção de adultos obesos quase dobrou, passando de 12% para praticamente 22,5% 13. No Brasil, dados recentes já sinalizam prevalências crescentes de excesso de peso e de obesidade, com 31% e 7%, respectivamente, para homens e de 26% e 12%, nas mulheres, representando um aumento considerável em relação à década de 80, quando apenas 4,5% dos homens eram obesos, demonstrando não ser este um problema exclusivo dos países desenvolvidos. Enquanto isso, os níveis de frequência de atividade física permanecem extremamente baixos, tornando relevante a busca por um estilo de vida saudável, através do combate ao sedentarismo e ao excesso de peso.
Por outro lado, não há dúvidas que mulheres adultas tendem a se considerar com excesso de peso quando, em verdade, possuem pesos corporais compatíveis com suas respectivas alturas. Já os homens jovens desejariam pesar mais e apresentar músculos muito mais desenvolvidos. Hipotetizando é possível que o grau de insatisfação com o peso corporal influencie no modo como esses jovens adultos se percebem em termos da relação peso e altura corporal, idealizando uma imagem corporal ideal.
A imagem corporal é a representação mental do nosso corpo, é a forma como vemos e pensamos o nosso corpo,  também é a forma como acreditamos que os outros nos vêem. A necessidade de emagrecer ou conseguir um “corpo perfeito” pode impedir que se tenha uma consciência de si mesmo, o que leva a uma batalha interna que causa angústia e sofrimento.
A satisfação corporal é um processo de desenvolvimento continuo e ativo que se reestrutura permanentemente, influenciada por um conjunto de experiências sensoriais.
Lembre-se que aparência saudável é algo positivo. Isso significa estar bem descansado, não forçar seu corpo além do seu limite, se alimentar de maneira saudável e ter tranquilidade, deixando de lado o perfeccionismo exagerado.

BOM TREINO!

sábado, 10 de março de 2012

BENEFÍCIOS DO EXERCÍCIO FÍSICO NO TRATAMENTO DA DEPRESSÃO


Tenho conversado com algumas pessoas na academia sobre as mudanças corporais que o exercício físico proporciona e todas as pessoas têm relatado que além dos benefícios físico o bem estar que os exercícios proporcionam, o bom humor e a disposição para o dia a dia melhoram na mesma proporção.
Há toda uma série de coisas que acontecem quando começamos a fazer exercício físico. Esta ativação geral inclui diversos sistemas do corpo. Desde a ativação do metabolismo cardiovascular, vários tipos de alterações endócrinas no cérebro, vários tipos de alterações hormonais e mudanças fisiológicas acontecem um pouco por todo o organismo. Este tipo de mobilização do corpo faz com que existam igualmente algumas alterações no nosso cérebro, contribuindo para alterações positivas nos estados de humor.
Abaixo, algumas perguntas e respostas encontradas no site: http://www.escolapsicologia.com

O que acontece psicologicamente quando as pessoas começam a exercitar-se?

Depende do grau e nível de exercício. Com o exercício físico moderado, por exemplo, fazendo caminhadas curtas de 5 ou 10 minutos, verificam-se alterações significativas em alguns estados de humor primário, materializando-se no aumento de energia. Secundariamente, às vezes verifica-se também uma redução da tensão.
Com o exercício mais intenso, por exemplo, de uma hora de exercícios aeróbicos mais ritmados, há uma redução temporária da energia, verificando-se também uma redução da tensão, mas, muitas vezes, após a recuperação do treino, ocorre um ressurgimento da energia. Dá-se um processo de efeito retardado do exercício físico. Depois da atividade, a pessoa sente-se cansada, com menos energia, mas por um efeito de adaptação, e após um tempo de recuperação, a pessoa sente-se com mais energia e mais resistente. Promovendo o impulso para a ação.

Mas  as pessoas deprimidas têm que exercitar-se intensamente para conseguirem um impulso no seu humor?
Não, mesmo com exercícios de baixa intensidade, verificam-se melhorias muito significativas. Caminhar a um ritmo moderado, e outras vezes mais rápido, por um tempo curto (5- 10 minutos), podendo estes intervalos ser repetidos depois de um período de descanso (2-3 minutos) e depois nova caminhada de (5-10 minutos), os benefícios irá fazer-se sentir rapidamente,  há um aumento significativo na energia e isto pode ser sentido quase imediatamente.




Atletismo na Educação Física Escolar


O recém eleito presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), José Antonio Martins Fernandes, propõe modalidades a mais que o futsal, basquete e handebol na  Educação Física Escolar brasileira.

O presidente declarou ao jornal Folha de S.Paulo requisitar uma reunião com o Ministro da Educação, Aluízio Mercadante e com líderes esportivos para discutir a inclusão do atletismo na educação física escolar. 

O encontro teria o objetivo de apresentar um diagnóstico do atletismo e mostrar as perspectivas de desenvolvimento do atletismo no país. De acordo com Fernandes, “o atletismo é um esporte base, que representa todos os outros esportes”. ”Podemos introduzir o miniatletismo na educação física escolar”. “Não é utópico, não é nada do outro mundo, e poderia dar avanço muito rápido à educação física escolar no Brasil”. 

Atletismo adaptado para escolas


O presidente da CBAt, que assume apenas em 2013 para ocupar o cargo até 2016 - ano em que o país sediará as olimpíadas, definiu o “miniatletismo” como uma versão das modalidades esportivas adaptadas às condições específicas das escolas. Ou seja, nenhuma escola precisaria de uma pista de atletismo para a introdução do esporte, pois se utilizariam de outros materiais para simular uma pista de corrida. 

Como já é realizado em outros países, o atletismo na educação física escolar espera fortalecer a base dos esportes, visando um crescimento a longo prazo dos esportistas brasileiros.

 Fonte: educacaofisica.com. br



sexta-feira, 2 de março de 2012

EXERCÍCIOS PARA PESSOAS COM ARTRITE



Estudos têm mostrado que exercícios físicos ajudam pessoas com artrite de várias formas. Exercícios reduzem a dor e rigidez na articulação e aumenta a flexibilidade, força muscular, saúde do coração e resistência. Eles também ajudam na redução de peso e contribuem para uma sensação de bem-estar.
Exercícios é uma parte do plano de tratamento amplo para a artrite. Planos de tratamento podem incluir descanso e relaxamento, dieta apropriada, medicação, e orientação sobre o melhor uso das articulações e modos de conservar energia (ou seja, não desperdiçar movimentos), assim como a utilização de métodos para aliviar a dor.
Existem três tipos de exercícios são os melhores para pessoas com artrite:
·                    Exercícios de extensão de movimento (dança) ajudam a manter a movimentação normal das articulações e aliviar a rigidez. Esse tipo de exercício ajuda a manter ou elevar a flexibilidade.
·                    Exercícios de força (musculação) ajudam a manter ou aumentar a força muscular. Músculos fortes ajudar a dar apoio e proteger as articulações afetadas pela artrite.
·                    Exercícios aeróbicos ou de resistência (andar de bicicleta) elevam o condicionamento cardiovascular, auxiliam no controle de peso e melhoram as funções gerais. O controle de peso pode ser importante para pessoas que têm artrite devido à pressão a mais do peso extra em várias articulações. Alguns estudos mostram que o exercício aeróbico pode reduzir a inflamação em algumas articulações.
Pessoas com artrite devem discutir as opções de exercícios com seu médico e outros profissionais da área da saúde. A maioria dos médicos recomenda atividade física a seus pacientes. Muitas pessoas com artrite começam com exercícios leves, de extensão de movimento e aeróbicos de baixo impacto. Indivíduos com artrite podem participar de vários, mas não todos, esportes e programas de exercícios. O médico saberá quais (se algum) esportes não devem ser praticados.

PESSOAS COM DOENÇAS DO CORAÇÃO E EXERCÍCIOS FÍSICOS


O paciente cardiopata (nome destinado ao paciente com algum tipo de doença cardiológica) pode realizar exercícios físicos, desde que seja feita uma avaliação prévia realizada por cardiologista ou por médico do esporte habilitado em questões cardiológicas. O médico irá avaliar individualmente qual o melhor tipo de exercício a ser realizado, assim como a intensidade do mesmo. O ideal é que o cardiopata tenha o apoio tanto do educador físico (profissional com formação de bacharel em educação física), quanto do médico para a realização de seu programa de atividade física.
Existem programas de reabilitação cardíaca que servem para inserir ou re-inserir o exercício na vida de alguém que apresentou um evento cardíaco. Nestes, o exercício aeróbico de baixa a moderada intensidade e longa duração é a escolha.
Os exercícios de alta intensidade devem ser evitados, salvo em situações especiais. Alongamento, flexibilidade e exercícios com pesos (carga baixa e várias repetições) também devem ser incentivados. Em suma, a atividade física quando realizado de forma regular e continua é um fator de proteção para o paciente com cardiopatia estável.
Um pequeno exemplo de um programa de exercícios com peso (musculação) para pessoas com algum tipo de cardiopatia é:
                     Objetivo: R.M.L. (Resistência Muscular Localizada)
                     De 2 a 3 vezes p/ semana
                     De 1 a 2 Séries
                     De 10 a 20 RM.
                     Maior Nº de Exercícios p/ Membros Inferiores
                     Menor Nº de Exercícios p/ Membros Superiores
                     Trabalho de 50% a 60% da FCM
O recomendável é que homens a partir dos 35 anos e mulheres a partir dos 45 anos sejam submetidos a um exame de pré-participação para prática esportiva. Na Itália, por exemplo, a lei obriga que todos os atletas realizem avaliações pelo menos anuais. Tanto em atletas quanto em não-atletas, essa avaliação deve ser preferencialmente realizada por médico com formação em exercício e tem como objetivo fazer um apanhado clínico do indivíduo que irá auxiliar na promoção da saúde, na performance, além de poder reduzir possíveis riscos.
Amigos e “colegas” que passaram para algum tipo de cirurgia no coração procurem seu médico e com calma e planejamento comecem a se exercitar.




DEIXE O MEDO GUARDADO NO ARMÁRIO E MOVIMENTE-SE!