segunda-feira, 31 de maio de 2010

SE BEBER FAÇA EXERCÍCIO





Quem é que consegue resistir a um bom drinque no final de semana? Difícil, não? Contudo, se isso parecia o fim da sua busca por um corpo perfeito, pode ficar mais animado. Quando o assunto é a bebida e a pratica de exercícios, a lei da compensação funciona! Contudo, para queimar o estoque de álcool no organismo será necessário muito pique.

Confira uma tabela que vai te ajudar, a saber, quanto tempo a mais terá que suar a camisa. Vale lembrar que de nada adianta encher a cara no domingo e se matar na academia na segunda-feira. O melhor é beber moderadamente e praticar exercícios sempre!

· 1 dose de uísque (30ml)

65 calorias = 7,5 minutos a mais.

· 1 taça de vinho tinto (100 ml)

80 calorias = 9,5 minutos a mais.

· 1 frozen daiquiri (100 ml)

122 calorias = 14,5 minutos a mais.

· 1 martini (100 ml)

140 calorias = 16,5 minutos a mais.

· 1 cerveja long neck (335 ml)

150 calorias = 17,5 minutos a mais.

· 1 frozen margarita (100 ml)

168 calorias = 20 minutos a mais.

Fonte: suadieta.com.br

CORRER É O MESMO QUE PEDALAR?





A prescrição de um treinamento para condicionamento físico geral, com foco em saúde, deve-se cobrir as bases das qualidades físicas mais amplas: capacidade cardiorrespiratória, força e resistência muscular e flexibilidade. O foco em cada uma será desenvolvido conforme a necessidade e a programação do treinamento.

Falando sobre condicionamento cardiorrespiratório, quais devem ser as atividades a serem desenvolvidas? Rapidamente, a resposta deve ser “todas as atividades que se baseiem na solicitação desse sistema de forma considerável”. Logo, temos a caminhada, a corrida, o ciclismo, a natação, o remo e várias outras que tenham como característica uma execução cíclica, de intensidade moderada mantida por um tempo considerável. Dessa forma, todas as atividades podem ser aplicadas para manutenção ou melhora do sistema cardiorrespiratório. A forma como uma ou várias modalidades serão abordadas é o que conta, sempre com o foco no sistema cardiorrespiratório.

Apesar das execuções das atividades serem diferentes, o foco estará no sistema cardiorrespiratório, então essas modalidades podem cobrir o quadro de exercícios aeróbios na periodização. Mas é justamente nas diferenças onde encontramos o que é preciso para escolher uma ou outra modalidade na prescrição do treinamento.

Pensando apenas na corrida e no ciclismo, vemos claramente as diferenças no gesto motor, na execução das atividades e nas possibilidades de realização. A corrida pode ser realizada na rua ou na esteira, com algumas mudanças na execução, tem um recrutamento de grupos musculares diferentes do ciclismo, existe um comportamento metabólico mais eficiente para todo o corpo (também resultando em maior gasto calórico para um mesmo tempo e intensidade). Já o ciclismo muda radicalmente da rua para a bicicleta estacionária, diminuindo muito a intensidade sem a resistência do ar, se altera o recrutamento muscular com o uso da sapatilha (calçado especial para o ciclismo que se “trava” no pedal), além do desenvolvimento da técnica de pedalada em equipe.

Ao mesmo tempo em que existem similaridades entre o ciclismo e a corrida, existem as diferenças, e essas são as que contam na decisão de qual modalidade realizar. Por exemplo, o trabalho de força para quadríceps, bíceps femoral e gastrocnêmio pode ser feito durante os treinos de sprint no ciclismo com o uso da sapatilha, já que no pedal é gerado torque durante todo o ciclo da pedalada. Logo, nesse dia, o trabalho de força para esses grupamentos musculares já foram realizados concomitantes ao treino cardiorrespiratório, bastando completar com os exercícios para os membros superiores e tronco.

Outros dois pontos importantes são a preferência do praticante por uma das modalidades sugeridas pelo treinador; e também o objetivo, caso tenha uma corrida de 10km para participar ou um passeio ou viagem de bicicleta em vista. Então, no momento da prescrição do treinamento, leve em conta a função geral da modalidade e suas manifestações específicas.

Fonte: educacaofisica.com.br/brunnoeliasferreira

Fabiana usa nova técnica, vence GP Brasil e é a nova líder do ranking



Atleta brasileira salta 4,75m e fica com o ouro. No salto em distância, Keila também vence. Brasil termina o dia com quatro vitórias e três bronzes

Fabiana teve calma e segurança. Atual campeã mundial indoor, a brasileira não se apressou para saltar no GP Brasil de Atletismo, neste domingo, no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro. Sua primeira tentativa foi em 4,40m. Fácil. Seguiu com seu planejamento, e depois, com a vitória garantida, tentou a marca de 4,85m, superior à que lhe deu o ouro em Doha (4,80m) e ao seu recorde sul-americano (4,82m). Não deu. Mesmo assim, fechou em 4,75m e ficou com o ouro na competição. De quebra, assumiu a liderança do ranking em pista aberta.

No GP Brasil, Fabiana testou uma nova técnica de salto. Há duas semanas, de volta das férias, ela treina percorrendo os 36 metros em 18 passadas, ao contrário das 16 até o ano passado. Depois da vitória, Fabiana comemorou a boa marca.

- Foi ótimo. É a minha melhor marca da temporada em pista aberta. É prova de que o trabalho está dando certo. Gostei bastante dos primeiros saltos, achei que estava chegando muito bem. No fim, me senti um pouco cansada - afirmou a atleta, que volta a competir nos Jogos Ibero-Americanos, no próximo mês, em San Fernando, na Espanha.

A marca na prova deste domingo levou Fabiana à liderança do ranking mundial em pista aberta. Se tivesse ultrapassado a barreira dos 4,85m, ela teria igualado a marca de Yelena Isinbayeva e dividiria a liderança também na lista de provas indoors (cobertas).

Com a vitória de Fabiana, o Brasil encerra sua participação no GP com quatro medalhas de ouro e três de bronze. Além dela, Keila Costa (salto em distância), Kleberson Davide (800m) e Nilson de Oliveira (200m) venceram suas provas. No salto triplo, Jadel Gregório foi bronze, mesmo resultado de Jailma de Lima, nos 400m, e Ana Cláudia Lemos, nos 200m.

Fabiana aprova nova técnica

Fabiana ressaltou que a prova deste domingo foi apenas um teste para ver como se sairia com a nova técnica de salto. Ela afirmou que vai insistir na mudança, e projeta estar no melhor de sua forma no GP de Roma, em junho, válido pela Diamond League, quando também estreará suas novas varas, maiores que as que usa hoje.

- Vai dar certo. Vou insistir nisso. Eu treinei sem saber como me sairia. Estou bem feliz. Acho que em Roma já vou estar melhor. Quanto mais alto, melhor - afirmou.

Keila Costa vence no salto em distância

No salto em distância, a vitória foi de Keila Costa. A atleta, que sofreu uma lesão há duas semanas, conseguiu sua melhor marca do ano, 4,68m, e comemorou o fato de não ter sentido dor na hora do salto.

- É a minha melhor marca pessoal do ano. E eu ainda não sabia se disputaria, só fui confirmar na quinta-feira. Não quis forçar muito para não sentir dor. E fico feliz por ter conseguido.

Antes, na prova dos 400m feminino, Jailma de Lima conquistou a primeira medalha do Brasil no dia. Ela marcou o tempo de 52s70 e ficou com o bronze da prova.

- Estava um pouco forte. Mas vim confiante. Era difícil conseguir uma medalha, mas consegui e estou muito grata por isso - disse.

Marilson vai mal nos 5.000m e foca no segundo semestre

Na prova de 5.000m, Marilson dos Santos não conseguiu ser páreo para os quenianos. O atleta, que faz sua preparação toda voltada para maratonas, terminou em oitavo lugar, com 13m45s. O resultado ficou um pouco acima do índice para o Ibero-Americano, que é de 13m40s. O vencedor foi Abraham Chebi, do Quênia, com 13m17s64. Agora, Marilson pretende descansar para decidir se vai em busca do tricampeonato da Maratona de Nova York.

- Foi difícil. Eu faço preparação para maratonas, então não estava muito rápido. Acho que valeu. Foi a primeira prova difícil do ano. Agora, é hora de descansar e pensar no segundo semestre. Em junho ou julho decido se vou participar da Maratona de Nova York, mas é provável.

Nos 400m com barreiras, Mahau Suguimati ficou próximo de conseguir uma medalha para o Brasil. Ele terminou a prova em quarto lugar, com o tempo de 50s33.



terça-feira, 25 de maio de 2010

ESTRESSE PODE LEVAR À OBESIDADE





Você é um escravo (a) das dietas e exercícios e vive preocupado (a) com a balança? Então esta notícia pode lhe interessar: cientistas israelenses encontraram um gene que nos faz sentir vontade de comer doces e alimentos gordurosos quando estamos estressados. Relaxe, portanto.

Segundo o pesquisador Alon Chen, do Weizmann Institute, em Israel, o estudo de que participou queria descobrir por que as pessoas recorrem aos biscoitos calóricos, por exemplo, quando se sentem sob estresse em cada ou no trabalho. Os cientistas perceberam, durante experimentos com ratos, que um determinado gene bombeia uma proteína – a Ucn3 – em momentos de tensão.

A Ucn3 afeta músculos, fígado, pâncreas, coração etc e, produzida no cérebro, aumenta o apetite e nosso grau de satisfação, além de alterar o modo como o corpo usa a insulina. – hormônio crucial para o processamento do açúcar em energia. Assim, o gene recém descoberto estaria ligado não apenas à obesidade, mas também ao diabetes tipo 2.

A conclusão do estudo é que devemos ter cuidado com nosso nível de estresse. Se ele estiver constantemente alto, fora de controle, o risco de engordar e adoecer aumenta muito.

Portanto chega de estresse, pratique exercício e curta a vida!

terça-feira, 18 de maio de 2010

A IMPORTÂNCIA DE PRATICAR EXERCÍCIOS FÍSICOS NA TERCEIRA IDADE





Mais do que nunca os idosos estão investindo nos avanços da medicina e em uma vida mais ativa para se manter longe dos problemas que antes eram relacionados à idade. Mas, para se viver a chamada “melhor idade” plenamente, é fundamental a prática de exercícios físicos!

Os benefícios de incluir exercícios na sua rotina são muitos. Dentre eles, o aumento da densidade de minerais ósseos, o que auxilia no tratamento da osteoporose, por exemplo, e a conquista de mais vitalidade e força para exercer as atividades diárias, como descer e subir escadas, ir ao banheiro sozinho, sentar e levantar.

Os exercícios físicos ajudam a diminuir a intensidade de doenças cardiovasculares e hipertensão e, ainda, diminuem os riscos de infarto, AVC e diabetes, principalmente para aqueles que já apresentam pré-disposição para a doença. A melhor tática é optar pela combinação de exercícios aeróbicos com os exercícios de força.

Com a idade, é maior o risco de depressão ou outras doenças causadas por questões emocionais. Ao se manter em plena atividade o idoso consegue espantar este tipo de doença e se mantém em contato com o mundo. Ele cuida da saúde e da mente ao mesmo tempo.

Os idosos demandam uma atenção maior de seus professores. O controle das cargas e a intensidade dos exercícios devem ser monitorados constantemente pelos profissionais de educação física.

Por isso, a dica é tentar frequentar as academias fora de seus horários de pico, aproveitando a flexibilidade de horário que este grupo de pessoas costuma ter, e se cercar de todos os cuidados necessários. A escolha de profissionais habilitados e competentes é que garantirá que os exercícios surtirão o efeito desejado.

terça-feira, 11 de maio de 2010

O QUE OS EXERCÍCIOS PODEM FAZER PELA SUA SAÚDE






Todo mundo já sabe que praticar exercícios físicos faz bem à saúde e melhora a qualidade de vida. Mas, será que você sabe realmente o quanto manter uma atividade pode fazer diferença na sua vida? Confira alguns dados reveladores:
Muitas mulheres sofrem de prisão de ventre. Mas, se o seu intestino anda preguiçoso, a melhor solução é colocá-lo para malhar. De acordo com uma pesquisa feita nos Estados Unidos, os exercícios físicos ajudam a movimentar a sujeira do intestino mais rápido, facilitando a sua eliminação. Além disso, a sua barriga perde medidas quando você vai ao banheiro normalmente.
Uma pesquisa realizada na Universidade de Londres, na Inglaterra, constatou que Tiros curtos de velocidade durante a corrida ajudam a diminuir o risco de desenvolver diabetes tipo 2. O que acontece é o que o nosso nível de sensibilidade à insulina, ou seja, efetividade com que o hormônio transporta glicose para o músculo, aumenta em 23% quando corremos desta maneira. Quanto mais baixos os níveis de glicose na corrente sanguínea, menor o risco de diabetes.
Um estudo publicado pelo European Heart Journal revelou que as vantagens de trocar o elevador pela escada podem ser maiores do que imaginamos. Durante 12 semanas, 69 funcionários de um hospital só usaram as escadas. O resultado foi: Um aumento de 86% na capacidade pulmonar e uma diminuição de 1,7% da gordura corporal, 1,8 na circunferência da cintura, 2,3% na pressão e 3,9% do LDL (colesterol ruim)
Malhar é a melhor maneira de abandonar o vicio do cigarro! Um estudo feito pela Universidade de San Diego, EUA, mostrou que ex-fumantes que começaram a malhar depois que pararam de fumar apresentaram 84% mais chances de permanecer sem o cigarro, quando comparados a um grupo que não recebeu o mesmo incentivo.

Fonte: suadieta.com.br

quinta-feira, 6 de maio de 2010

ANVISA LIBERA CREATINA E CAFEÍNA PARA ATLETAS






Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou o uso da creatina e da cafeína como suplemento alimentar para atletas. A medida integra uma resolução aprovada na Anvisa, com novas regras para alimentos usados por esportistas. Além da liberação desses dois produtos, a resolução passa a considerar barras de proteínas, repositores energéticos e outros suplementos apenas como alimentos para atletas. Com a mudança, rótulos terão de ser alterados para apresentar a frase de advertência: "Esse produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico." Empresas terão 18 meses para se adaptar à nova regulamentação.

A resolução é estudada pela Agência há mais de um ano. A nova classificação para barras de proteínas e bebidas isotônicas pretende evitar o consumo desnecessário deste tipo de produto, cujas vendas vêm aumentando de forma significativa no País. "Havia uma banalização, um apelo comercial para uso desses complementos", avaliou a diretora da Anvisa, Maria Cecília Brito. "Queremos trabalhar contra isso e mostrar que quem faz exercícios três vezes por semana não precisa disso. Uma alimentação balanceada é o suficiente."

O que muda na venda de bebidas isotônicas e barras de proteínas é apenas a apresentação, com rótulo de advertência. "Não temos como fiscalizar o uso de alimentos. Fazemos advertências, o restante fica por conta do consumidor", observou a gerente de alimentos da Anvisa, Denise Resende.

Embora usados por frequentadores de academias e esportistas, a venda de creatina e de cafeína como suplemento alimentar não era permitida no País. Tanto cafeína quanto creatina estavam registradas na Anvisa apenas para uso em medicamentos. A inclusão foi feita depois de um apelo de fabricantes e da apresentação de estudos que comprovam a segurança e a eficácia dos produtos.

A cafeína ajuda a retardar a sensação de fadiga muscular. A creatina é considerada como fonte extra de energia, que facilita a contração e a rápida recuperação de músculos. "Mas eles somente devem ser usados com indicação de médico ou de nutricionista", afirmou Maria Cecília.

Nessa nova classificação, aminoácidos de cadeia ramificada deixam de ser considerados como produtos para atletas. De acordo com a Anvisa, não foram apresentados trabalhos que comprovassem o efeito prometido, que era de fornecimento de energia. Agora classificados como alimentos para atletas, tanto cafeína quanto creatina podem provocar problemas à saúde quando usados em excesso.

"Eles são úteis para esportistas que precisam de grandes rendimentos. Mas têm de ser usados com orientação", diz a gerente. O acúmulo desses produtos pode provocar problemas renais, problemas no fígado e aumento de peso. No rótulo da creatina, é preciso incluir ainda a advertência de que o consumo não deve exceder três gramas diárias. E que o produto não deve ser usado por crianças, gestantes, idosos e portadores de doenças. No caso da cafeína, o rótulo deve advertir que o produto não deve ser consumido por idoso, gestantes, crianças e portadores de enfermidades."

Fonte: Portal G1