quinta-feira, 3 de junho de 2010

COMBINANDO EXERCÍCIOS FÍSICOS E ESTUDOS



Se você pensa que para ganhar tempo para estudar, pode deixar de lado a atividade física, está muito enganado. Adequar a rotina de estudos à prática de exercícios ajuda na concentração, na postura e no bem-estar de quem está se preparando para o vestibular. O ideal é intercalar o tempo dedicado aos livros com aos exercícios físicos.

O esporte ajuda a combater aquelas fisgadas nas costas e no pescoço - comuns quando se passa horas na escrivaninha ou em frente ao computador. Além de auxiliar na redução do estresse - que prejudica o desempenho da pessoa- traz mais disposição, seja para uma leitura ou na hora de fazer a prova.

“Hoje os jovens enfrentam uma grande maratona: vão para a escola, para cursinhos específicos e ainda estudam em casa. Tantas atividades proporcionam um desgaste físico e, possivelmente, estresse. Mas isso pode ser revertido, pois a prática de um esporte com regularidade, somada a exercícios de respiração e alongamentos contribuem para que o estudante amenize a tensão e controle a ansiedade de sua atribulada rotina de estudos”, explica o educador físico, Cláudio Ribeiro.

Um bom condicionamento físico ajuda até na postura. Pode parecer sem importância, mas na hora de estudar, se a cadeira ou a mesa não forem adequadas, ou o estudante sentar de forma inadequada, a respiração é feita de forma incorreta, o que pode gerar desconforto e até dor de cabeça, o que prejudica o raciocínio - daí a importância da postura.

“Muitos vestibulandos procuram as academias com dores nas costas e na região lombar - devido ao tempo que passam sentados - e logo percebem que o exercício, além de aliviar a dor incômoda, ajuda também na concentração e disposição para estudar”, diz Cláudio.

Mas qual o tempo que o estudante pode dedicar à atividade física? O bom é que não precisa de muito tempo. Uma hora por dia, três vezes por semana já é suficiente para melhorar a vitalidade, o condicionamento físico e até o sono. E dormindo bem, o vestibulando tem mais disposição para passar horas e horas de frente para os livros ou computador.

Além do bem-estar físico que o exercício proporciona, Cláudio Ribeiro aponta outras vantagens "É importante manter contato com outras pessoas, sair da solidão, que é o estudo, e buscar atividades que proporcionem descontração, relaxamento e alívio. Também não adianta se dedicar a algo que não traga satisfação.

Se você não gosta de musculação, por exemplo, deve procurar alguma atividade que te agrade. O ideal é juntar prazer e exercício. E as opções são muitas. Caminhada, bicicleta, natação, dança, entre outros.

Para quem não pratica esporte há algum tempo, é imprescindível a avaliação física e u orientação de um profissional da área. O professor destaca ainda a importância da hidratação e da escolha de uma roupa e calçados adequados. O que não pode é ficar parado.


O que fazer?


Agora que você sabe os benefícios de praticar atividade física e que ela não atrapalha a sua rotina de estudos. Listamos algumas opções de exercícios que vão te ajudar nessa rotina acelerada de estudos.

Spinning: Aula feita em bicicletas especiais cuja característica principal é simular trechos de trilha de mountain bike. É uma atividade em que a carga e a intensidade variam muito, conforme o ritmo da música e, é claro, o condicionamento físico do aluno.

· Benefícios: Melhora o sistema cardiorrespiratório, aumenta a resistência e a força de membros inferiores (pernas).

· Frequência: 45 minutos, três vezes por semana.

· Contraindicações: Pessoas com problemas de coluna e lesões nas articulações.


Musculação: É a melhor atividade para modelar o corpo, porque o trabalho é feito em todos os grupos musculares separadamente. Deve ser feita com orientação de um profissional de educação física.

· Benefícios: fortalece e aumenta o tônus muscular, aumenta a resistência e a força, melhora o sistema cardiorrespiratório e a postura.

· Frequência: cerca de 60 min a 1h30, pelo menos três vezes por semana

Contraindicações: pessoas com problemas de coluna e lesões nas articulações devem avisar o professor, que fará um programa especial adaptado às dificuldades.

Fonte: educacaofisica.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário