segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Linguagem Corporal vira tema no Enem




Linguagem corporal


Ligado à matriz de habilidades da área de linguagens, o assunto está causando um "nó" na cabeça dos estudantes. Será que é preciso agora entrar num grupo de dança ou se matricular na academia para entender de linguagem corporal?

Segundo os professores, não é isso o que o Ministério da Educação (MEC) quer. O que será avaliado na prova nacional - que vai substituir o vestibular das universidades federais do estado - é a capacidade de interpretação dos movimentos do corpo. É necessário compreender as diversas manifestações culturais (danças, lutas, rituais e cerimônias), aspecto que deve ser mais ligado aos testes das ciências sociais, e reconhecer a importância das atividades físicas para o bem estar, conceito que pode ser cobrado na prova de ciências.

Antes de "viajar" no tema, o aluno precisa perceber a diferença entre expressão e linguagem corporal. Enquanto a primeira diz respeito apenas aos movimentos do corpo propriamente dito (danças e exercícios da academia), a segunda abrange a movimentação corporal como meio de comunicação (não-verbal). "O Enem quer que o jovem tenha uma leitura cultural de mundo. A banca pode mostrar uma imagem do toré (ritual indígena) e pedir interpretações ao aluno. Não apenas sobre o que o toré mostra, mas de elementos que envolvam história, língua portuguesa, sociologia", explica o professor de português do Colégio Equipe, Daniel Bandeira. Ele afirma que o uso da linguagem corporal pode ser utilizado, inclusive, como tema de redação da prova nacional. "Não é algo impossível", aposta.

Para a professora de português, Betânia Ferreira, do UTI Centro Educacional, na Jaqueira - PE, a leitura da linguagem corporal é simples. "O aluno não precisa saber dançar para saber o que o corpo ou o rosto querem comunicar através da dança ou de uma prática esportiva. É mais uma questão de sensibilidade e de atenção ao significado das expressões contidas na imagem", ensina. Ela afirma que a interpretação da linguagem não-verbal através do corpo não chega a ser novidade para os alunos pernambucanos. "Há 15 anos a Comissão de Vestibular (Covest), que foi responsável pela 1ª fase das federais até o ano passado, já havia utilizado esse recursos em questões de português", comentou. Aluna de pedagogia Ketully Leal, 20 anos, vivencia os movimentos do corpo no dia a dia. Ela é bailarina há nove anos. "Qualquer movimento que o corpo faz é linguagem corporal. Essa é a maneira de transmitir o que se sente através do corpo. É tão natural quanto andar comer ou respirar", define.

Educação Física - Como o Enem cobra assuntos inseridos no contexto interdisciplinar, o Colégio Contato está promovendo aulas conjuntas entre as equipes de literatura e de educação física. "Você pode perceber como se comportavam e viviam pessoas de uma determinada época só observando fotos ou pinturas. É por meio da linguagem do corpo que determinamos se elas eram mais recatadas, se sofriam ou viviam em liberdade. A dança, por exemplo, é uma manifestação que existe desde a Pré-história", justifica professora de educação física Luciana Mendes. O colega Antônio Galdino ressalta que o interesse dos alunos aumentou desde que o programa do Enem foi divulgado. "As aulas de educação física estão mais frequentadas e o interesse dos meninos aumentou", assegura.

Entrevista com Valéria Medeiros sobre o assunto

Coordenar e articular os movimentos do corpo é a profissão da professora de dança e coreógrafa do projeto "Em cena arte e cidadania", Valéria Medeiros. Ela é a responsável pelos espetáculos da organização não-governamental que oferece aulas gratuitas às crianças em situação de risco das comunidades dos Coelhos e do Coque, no Recife. Além de consciência corporal, ela sabe como ninguém como a arte pode mudar a vida das pessoas. Simples, ela atendeu a equipe do Diário em meio aos ensaios do grupo, realizados na sede da ONG, localizada no bairro dos Coelhos. Com sua vasta experiência, Valéria afirma que a dança é uma das formas de organização da linguagem corporais mais antigas do mundo. "O movimento do corpo está ligado à vida", declarou.

O que é linguagem corporal?

Geralmente há uma separação entre a linguagem verbal e a linguagem corporal. Essa última é chamada de não-verbal, sem fala, sem voz. A linguagem corporal envolve não apenas os movimentos dos membros e do tronco, mas também as expressões faciais e o que elas transmitem.

Como os alunos podem entendê-la melhor?

Se a gente parar para pensar, a linguagem corporal é algo que desenvolvemos desde bebês. Somente através dela conseguimos nos desenvolver cognitivamente. O que acontece é que as escolas limitam um pouco os movimentos. Nos colégios, a frase que mais escutamos é o "fique quieto". Mas os alunos e os professores também precisam entender que o movimento melhora o aprendizado de forma geral.

A linguagem corporal está presente apenas na dança?

Não. Ela está presente em qualquer movimento que fazemos. O movimento está ligado à vida. A dança é apenas uma das formas de organização da linguagem corporal.

Como acontecem essas organizações do movimento?

Elas mudam de acordo com o tempo e com o local. Tudo vai depender da sociedade onde a pessoa vive. Nos últimos anos, a organização da linguagem corporal está se relacionando às áreas de educação e de saúde. Nunca houve tanta valorização do exercício físico para a promoção do bem estar do indivíduo.


Fonte: equipe pedagógicado Colégio Contato, UTI - Centro Educacional Betânia Ferreira e Ministério da Educação (MEC).

Por Mirella Marques

O QUE CAI NA PROVA?


Linguagem, Códigos e suas Tecnologias


• Estudo do texto: as sequências discursivas e os gêneros textuais no sistema de comunicação e informação - modos de organização da composição textual; atividades de produção escrita e de leitura de textos gerados nas diferentes esferas sociais - públicas e privadas.


• Estudo das práticas corporais: a linguagem corporal como integradora social e formadora de identidade - performance corporal e identidades juvenis; possibilidades de vivência crítica e emancipada do lazer; mitos e verdades sobre os corpos masculino e feminino na sociedade atual; exercício físico e saúde; o corpo e a expressão artística e cultural; o corpo no mundo dos símbolos e como produção da cultura; práticas corporais e autonomia; condicionamentos e esforços físicos; o esporte;. a dança; as lutas; os jogos; as brincadeiras.


• Produção e recepção de textos artísticos: interpretação e representação do mundo para o fortalecimento dos processos de identidade e cidadania - Artes Visuais: estrutura morfológica, sintática, o contexto da obra artística, o contexto da comunidade. Teatro: estrutura morfológica, sintática, o contexto da obra artística, o contexto da comunidade, as fontes de criação. Música: estrutura morfológica, sintática, o contexto da obra artística, o contexto da comunidade, as fontes de criação. Dança: estrutura morfológica, sintática, o contexto da obra artística, o contexto da comunidade, as fontes de criação. Conteúdos estruturantes das linguagens artísticas (Artes Visuais, Dança, Música, Teatro), elaborados a partir de suas estruturas morfológicas e sintáticas; inclusão, diversidade e multiculturalidade: a valorização da pluralidade expressada nas produções estéticas e artísticas das minorias sociais e dos portadores de necessidades especiais educacionais.


Fonte: http://www.enem.inep.gov.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário