sexta-feira, 19 de julho de 2013


O portal “educacão.com”, publicou a matéria, sobre natação e rinite que gostaria dividir com vocês.

Rinite e natação é uma relação facilmente confundida com bronquite e natação, ou asma e natação. Isso porque a indicação mais comum para curar problemas respiratórios é praticar esportes, principalmente nadar. A melhora dos sintomas da bronquite devido à natação é comprovada, sendo ainda um dos exercícios aeróbicos mais eficientes, que gera uma infinidade de benefícios para pulmões e sistema cardiovascular. Mesmo assim, na rinite, o efeito de nadar pode não ser o mesmo.
Devido à quantidade de produtos químicos usados para tratar a água das piscinas, o que ajudaria a aliviar os sintomas da rinite acaba agravando a situação. Cloraminas, subprodutos do cloro, são as principais substâncias que causam as reações alérgicas e desencadeiam as crises.

Nadar, sim ou não?

Se a piscina causa rinite alérgica, deve-se procurar outro esporte – como exemplo, André Heller, da Seleção Brasileira de Vôlei, tentou a natação para amenizar os sintomas da rinite, mas não adiantou e ele procurou outro esporte.
De qualquer forma, a complicação não acontece com todos e não pode ser generalizada. Henrique Rodrigues é um bom exemplo disso: o atleta foi diagnosticado com rinite alérgica aos 5 anos de idade, mas começou a nadar e suas braçadas o levaram a integrar a Seleção Brasileira de Natação.
Sem se apegar a opiniões formadas, o ideal mesmo é iniciar uma atividade física qualquer, de preferência da pessoa, e ter acompanhamento de profissionais. À medida que as dificuldades aparecem, as soluções são propostas. 
A rinite é uma doença que não tem cura, mas a vida é perfeitamente normal para quem tem o mínimo de cuidados com a saúde e procura meios de aprender a lidar com as crises, ou evitar suas causas.





Um abraço,
Sandro Arêdes
Mestre em Educação Física

sgaredes@globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário