segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

INCLUSÃO ESCOLAR

Inclusão na Educação Especial - O ato de incluir pessoas portadoras de necessidades especiais na plena participação de todo o processo educacional, laboral, de lazer, etc..., bem como em atividades comunitárias e domésticas.” (dicionário Aurélio).

O que fazer?
• Aluno que não assimila conteúdos
• Aluno muito agitado na sala de aula

Julgar de forma errônea (rotular)
• Indisciplinado
• Bagunceiro
• Desinteressado

Transtornos, Distúrbios e Síndromes comuns além das deficiências.
• Diagnosticar
• Tratamento dentro e fora da escola

DISLEXIA
TDAH - transtorno déficit de atenção e iteratividade (tratado como preguiçoso / repete vários anos na escola)

DOIS PONTOS QUE PRECISAM SER ANALIZADOS
1. Será que as escolas realmente incluem as crianças com um tipo de distúrbio, transtornos, dificuldades, deficiência ou síndrome?
2. Preconceito Social (precisamos refletir)

Na função de professor você precisa está preparado para reconhecer quando um estudante possui comportamento peculiar que chama a atenção por ser diferente dos demais alunos.
Contudo a inclusão se faz não só quando existe limitação física ou intelectual, mas também de outras mil formas.



Deve-se incluir:
• Pessoas mais velhas que não sabe ler
• Pessoas que possuem condições financeiras reduzidas
• Pessoas gordas ou magras em demasia
• Homossexual
• Pessoas baixas ou altas em demasia
Adequar à escola regular a criança com necessidades especiais e também no âmbito social.
Inclusão que visa não só a integração escolar no sentido de adequar a escola regular a criança com necessidades especiais e também no âmbito social.
O processo de inclusão do aluno não depende só do professor que está na sala de aula, mas também de todos os envolvidos, de toda a equipe docente, de toda comunidade escolar.
Negação do Professor:
• Prejudicar os outros estudantes
• Não dão conta nem dos normais
• Sala cheia
Quando Incluídos:
• Bem aceito pelos colegas
• Ajudam nas atividades e rotina escolar

“É uma atitude meramente simplista falar – eu não sei o que fazer com você.” (Maria da Glória de Souza Almeida – Instituto Benjamin Constant – RJ).

O professor tem que:
• Buscar suporte
• Informações
• Cursos
• Leituras, etc...

A inclusão precisa ser feita com responsabilidade, comprometimento, amor e principalmente com respeito ao cidadão especial.

“Quando você quer colocar barreira em tudo, você não vê possibilidade em nada.” (Maria da Glória de Souza Almeida – Instituto Benjamin Constant – RJ).

Nenhum comentário:

Postar um comentário